Logo Escolas Médicas

Artigos & Matérias

Os médicos em ORDEM no Brasil - por A.C.N.Nassif

08/06/2012

ESSE ARTIGO FOI ESCRITO EM AGOSTO DE 1998
SÓ NOS RESTA OFICIALIZAR ESSE EXAME DE PROFICIÊNCIA
__________________________________________________________________________________
OS MÉDICOS EM ORDEM  NO BRASIL

Há vários anos estamos vivendo no âmbito  das entidades médicas. Isto tem nos proporcionado conhecer e sentir os problemas que normalmente afligem a classe médica do nosso País.  Entender porque somos fracos, porque não somos solicitados dar parecer sobre assuntos ligados à política de saúde e porque as grandes empresas nos colocam sempre contra a parede e muitas vezes nos postam de joelhos. Apenas um exemplo: nesse tempo todo, nunca o presidente da AMB, do CFM ou da FENAM foram convidados ou recebidos pelo presidente da República.  Afinal, representam 220 mil médicos brasileiros.  Número expressivo e significativo. Os que comandam o MST....?  Estes preocupam e são recebidos. Nos EUA, a Associação Médica Americana impõe respeito e é honrosamente considerada pelo governo e Congresso daquele País.

O associativismo brasileiro é extremamente dividido e subdividido. Só no contexto da Associação Médica Brasileira participam cerca de 1.206 entidades, todas elas legais e juridicamente constituídas, com estatutos, diretorias e associados  próprios.  Nas demais, outro tanto engrossa a lista das associações, conselhos e sindicatos, que ainda não se deram conta de que a globalização na área da Saúde está caminhando a passos largos, incluindo-se ai países vizinhos integrantes ou não do Mercosul. A interferência latino-americana também se faz presente em algumas situações. Tamanha divisão, que só enfraquece o poder e impede reivindicar direitos e princípios, dá aos oponentes, que são muitos, a oportunidade para tirar vantagens e até mesmo subjugar segundo seus interesses econômicos e não éticos.

Mas, centrando a discussão só aqui no Brasil, a situação está a exigir uma discussão profunda, rápida e desprendida de qualquer interesse político, partidário ou de grupos. É a dignidade e o respeito à nossa profissão que estão sendo postos à prova. Ou abrimos nossos olhos e apuramos nossos ouvidos, ou seremos em breve, como médicos e profissionais, uma “raça em extinção”. O fortalecimento da classe médica por meio de uma entidade única, forte e representativa, neste momento, é extremamente necessária e até, emergencial.

Foi pensando assim que em 21 de abril pp. a AMB em reunião do seu Conselho Deliberativo com a Diretoria Plena decidiu aprovar o inicio das discussões para a criação da ORDEM DOS MÉDICOS DO BRASIL – OMB, que reuniria as três entidades nacionais e todas suas federadas, regionais, associações médicas e sociedades de especialidades  de todo o País.

Como fazer isso? É simples: começando a discussão em todos os níveis, nacional, estaduais e regionais. Não importa o tempo que levar. O fundamental é a conscientização de que, neste processo evolutivo quase que globalizado, quem não estiver unido nunca será forte o suficiente para nada.
A Associação Médica Brasileira vai dar a partida e convidar todos os demais segmentos, dentro e fora do seu contexto,  para o grande debate. O Conselho Superior das Entidades Médicas pode ser um bom começo para essa discussão. É o que pretendemos fazer e rapidamente.
 
Dr. Antonio Celso Nunes Nassif
Presidente da AMB
Agosto de 1998

 

enviar para amigo >>  
compartilhe >>
voltar

deixe sua opinião

Médicos, Residentes, Professores, Coordenadores de Escolas Médicas

clique aqui

Estudantes,
Acadêmicos de Medicina

clique aqui

NEWSLETTER

Nome:
Email:
Banner

EscolasMedicas.com.br © 2010

Logo Hidea