Logo Escolas Médicas

Ensino Médico em Espanha

ESPANHA: - Governo desencoraja abrir três escolas de medicina

30/06/2008 23:59:07

ESPANHA - O Governo desencoraja abrir três escolas médicas


S.A.A./PE - Madri-22/05/2008



Um balde de água fria para o projeto do Governo de Aguirres que esperava duplicar escolas médicas na região. O último relatório sobre a qualificação do próximo curso de avaliação da Agência Nacional de Qualidade e de Acreditação (ANEC), o Ministério da Ciência e da Inovação, aconselhou abrir uma nova Faculdade de Medicina na Universidade Rei Juan Carlos. Fontes deste centro confirmou ter recebido a notícia de maneira informal.

O presidente regional anunciou no último dia 11 fevereiro um projeto para duplicar os atuais quatro faculdades - há três universidades públicas em Complutense, Autónoma e Alcala de Henares e uma privada, no San Pablo-Céu, apesar de não ter competência na matéria.

Fiel à sua política de privatização de toda Saúde, Aguirre anunciou um acordo para ceder um das faculdades a uma universidade pública, o Rei Juan Carlos, e três para universidades privadas: Francisco de Vitoria, Madri e Europeu Alfonso X. Em toda a Espanha, além do CEU, só existe no momento uma outra escola médica privada, a Universidade de Navarra.

Um porta-voz da ANEC explicou que o documento é apenas informativo e, agora, será o Conselho de Universidades, que dará a palavra final.

A Conselheira protesta



Mas a conselheira da Educação, Lúcia Figar, se antecipou ontem sobre a decisão e manifestou a sua indignação. "É uma intolerável discriminação para Madri", disse ela, referindo-se ao mesmo relatório diz que ele recomenda três Faculdades para a Catalunha, negando ao mesmo tempo aqueles solicitado por Valência e Múrcia.

Segundo Figar, é uma tentativa de "condenar" o futuro sistema de saúde em Madri e de novos hospitais. E que garantiu o apoio às universidades se elas quiserem dar início a ações judiciais.

Já em fevereiro, os reitores das escolas médicas em Espanha e o Medical College Organization (OMC) classificaram como "irresponsável" a proposta de Aguirre. Porque não depende só de Madri. O resto das autonomias e o Ministério da Educação trabalham num plano de cinco anos para aumentar, nas Universidades, 2.000 vagas em Medicina. Destas 400 vagas por ano, apenas entre 60 e 80 poderão corresponder a Madri, insuficiente para quatro novos faculdades.

Fonte : EL PAIS.com

Tradução: ACNNassif

Fonte: Fonte: EL PAÍS.com

enviar para amigo >>  
compartilhe >>
voltar

deixe sua opinião

Médicos, Residentes, Professores, Coordenadores de Escolas Médicas

clique aqui

Estudantes,
Acadêmicos de Medicina

clique aqui

NEWSLETTER

Nome:
Email:

EscolasMedicas.com.br © 2010

Logo Hidea