Logo Escolas Médicas

Ensino Médico em Portugal

PORTUGAL poderá buscar médicos de família no Brasil

30/09/2008 13:45:09

 

 

Portugal poderá buscar médicos de família no Brasil

Data: 30/09/2008

            Enquanto a União Européia anuncia que vai criar novas restrições para a entrada de profissionais e de imigrantes em geral, Portugal vive uma polêmica diferente. O país debate se deve ou não "importar" médicos, principalmente da América Latina. Segundo o Ministério da Saúde de Portugal, há falta de médicos de família e a ministra Ana Jorge deixou claro que vai negociar com governos latino-americanos a possibilidade de que o mercado português seja suprido.

            O objetivo é levar clínicos-gerais. A assessora do ministério, Joana Refega, confirma que o Brasil está no radar e que estudos estão sendo feitos para avaliar quais países seriam alvo da iniciativa.

            O tema pode ser objeto de uma conversa com o ministro brasileiro da Saúde, José Gomes Temporão, que deve fazer uma visita a Portugal no próximo mês.

            "Nós temos muitas pessoas sem médicos de família. O número de médicos de família neste momento ainda não é suficiente para podermos atender a todos", afirmou a ministra, sem dar números. Um dos problemas, segundo o ministério, é que a maioria dos médicos formados acaba buscando uma especialização, entre outros motivos, para garantir um melhor salário. O mesmo problema, aliás, ocorre no Brasil.

            Os portugueses estudam acelerar o reconhecimento de diplomas por meio de acordos bilaterais. A burocracia torna esse trâmite muito arrastado.

            Há cerca de cinco meses, por exemplo, um grupo de 45 médicos uruguaios foi contratado. Apesar do interesse do governo em suprir as vagas, só há 15 dias os processos começaram a dar entrada na Ordem dos Médicos para reconhecimento de especialidades.

 

Salário

 

            Outro motivo do déficit de médicos é que profissionais espanhóis que foram a Portugal trabalhar nos últimos anos agora estão saindo do país em busca de melhores salários. Até três anos atrás, a carência de profissionais da saúde em Portugal era preenchida principalmente por espanhóis. "A vinda dos médicos da Espanha começou em 1999. Chegaram a ser mais de 2.200. Hoje são 1.800", diz o presidente da Associação dos Profissionais de Saúde Espanhóis em Portugal, Xoan Gómez.

            Segundo ele, os que estão chegando agora a Portugal vão para ganhar menos. "Agora o governo português não integra no funcionalismo público, não dá estabilidade e paga menos. Para um médico que faça as mesmas tarefas que eu, que sou funcionário público, atendendo o mesmo número de pacientes, o salário é 40% mais baixo", conta Gómez.

 

Médicos demais

 

            Algumas entidades alertam que há um excedente de médicos em Portugal e que a solução não seria importar, mas redirecionar os profissionais. Em Portugal, existe 1,7 médico para cada 500 pessoas. O problema é que muitos estão concentrados no Porto e em Lisboa. A Ordem dos Médicos alega que já existem 4,2 mil médicos estrangeiros exercendo a profissão no país, mais de 10% do total em Portugal. Só do Brasil são 600. Dos demais países da UE são outros 2,5 mil, enquanto os países africanos de língua portuguesa contribuem com 261.

 

 

enviar para amigo >>  
compartilhe >>
voltar

deixe sua opinião

Médicos, Residentes, Professores, Coordenadores de Escolas Médicas

clique aqui

Estudantes,
Acadêmicos de Medicina

clique aqui

NEWSLETTER

Nome:
Email:

EscolasMedicas.com.br © 2010

Logo Hidea