Notícias

Entidades repudiam vestibular da Faculdade de Medicina de Olinda

21/09/2018 00:11:29

Órgãos como Cremepe, Simepe e AMPE questionaram o critério de classificação do processo seletivo da instituição 

setembro 17, 2018 às 10:06 - Por: Redação OP9

Entidades médicas de Pernambuco divulgaram nota condenando o último vestibular realizado pela Faculdade de Medicina de Olinda (FMO). O texto critica o fato da faculdade ter admitido candidatos com notas pouco maiores de dois pontos no último processo seletivo. “Mesmo não tendo poder de fiscalização sobre a autorização de funcionamento das escolas médicas, podemos afirmar que a FMO desprezou os critérios de bom senso e razoabilidade”, diz o texto. Assinam a nota o Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), o Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), a Associação Médica de Pernambuco (AMPE) e a Associação Pernambucana de Medicina (APM). 

No último dia 10 de setembro, a FMO publicou um edital de convocação da 10ª chamada para o vestibular 2018.2 da instituição. A convocação abriu mais 80 vagas no curso de medicina da faculdade. A medida gerou polêmica entre as entidades médicas do Estado, já que alunos com pontuações pouco maiores do que 300 (de um máximo de 1000) seriam admitidos.

Também em nota, a FMO se defendeu respondendo que foi autorizada pelo Ministério da Educação (MEC) a abrir novas vagas, passando de 120 para 200 alunos. Os estudantes foram chamados respeitando a ordem de classificação do Processo Seletivo 2018.2. A FMO também garantiu a qualidade do ensino da instituição. “Considerando o fato de já haver ocorrido o vestibular 2018.2, cujo resultado ainda se encontra dentro do prazo de validade, e visando ao aproveitamento das inscrições ali realizadas, impedindo-se a cobrança de nova taxa de inscrição para realização de outro certame, a Instituição achou por bem convocar os candidatos classificados no vestibular já realizado”, afirma a FMO. 


 

voltar