Escolas Médicas do Brasil

Projeto de curso de medicina é sucessão de erros, diz diretora da Unesp

 11/07/2013

 

Silvana Artioli Schellini - Por FÁBIO TAKAHASHI - Folha de São Paulo - 11/07/2013 - São Paulo, SP

 

A mudança na formação dos médicos, proposta pelo governo federal, pode colocar profissionais sem o preparo ideal em contato com a população, afirma a diretora da Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu (SP), Silvana Artioli Schellini.

Ela critica principalmente o fato de o plano propor que os estudantes de medicina tenham de ficar mais dois anos no curso, trabalhando na rede pública de saúde.

`Atualmente, eles só atuam após a residência médica. Como pegar esse aluno no final do curso de graduação e colocá-lo em contato com a população?`, afirmou Schellini. Ela disse que sua opinião é pessoal, e não institucional, pois sua faculdade ainda não discutiu o tema.

Na proposta do governo, os alunos terão supervisão de profissionais.

`Não tenho certeza de como isso funcionará, porque as escolas de medicina não foram consultadas`, disse. Ela afirmou também que não está claro qual impacto a mudança poderá trazer na estrutura das faculdades. `O projeto todo é uma sucessão de erros.`

 

 


TAGS