Escolas Médicas do Brasil

Falta de profissionais atinge países mais pobres do mundo

 07/04/2007

 

Dia da Saúde: Falta de profissionais atinge países mais pobres do mundo
Na Etiópia a relação é de 1 médico para cada 37 mil habitantes


06/04/2007 - 10h00

Motivada pelo lema da ONU para o Dia Mundial de Saúde de investir na saúde para se ter um futuro mais seguro, a Merlin, agência britânica de saúde, estuda o impacto da falta de quatro milhões de profissionais de saúde apontada pela OMS nas regiões mais pobres do mundo.

A agência está listando os países com o menor índice médico/ habitante e analisando as conseqüências. A Etiópia, por exemplo, tem um médico qualificado para cada 37 mil habitantes. A Organização Mundial de Saúde recomenda que essa relação seja de 1 médico para cada mil habitantes.

A pesquisa aponta como conseqüências o alto índice de mortalidade infantil por doenças que podem ser prevenidas, o alto risco de morte na realização de partos, além do surgimento freqüente de epidemias nesses locais.

Para solucionar o problema, os pesquisadores consideram necessário implantar escolas médicas nas regiões e prover treinamento para a população.

A Organização Mundial de Saúde declarou que um aumento de 70% no número de profissionais de saúde no mundo é o mínimo necessário para que a Organização das Nações Unidas consiga atingir as metas do milênio.

 

Países com os menores índices médico / habitante:

 

Tanzânia – 1/ 44.800

Malawi – 1/ 45.500

Etiópia – 1 / 37.700

Moçambique – 1/ 37.700

Nigéria – 1 / 37.700

Serra Leoa – 1/ 36.700

 


TAGS