Escolas Médicas do Brasil

Estudar na Rússia é uma opção para brasileiros

 15/04/2008

 

 
Estudar na Rússia é uma opção para brasileiros; um estudante paulinense parte nessa quinta-feira
 
 
 
Rafael Augusto Samogim, de Paulínia, viaja no dia 17 para Moscou, onde vai cursar medicina; qualidade de ensino e baixo custo atraem cada vez mais estudantes brasileiros.
 
 
 
A Rússia pode ser o novo destino para aqueles que desejam cursar um curso superior de qualidade sem ter que desembolsar altos valores. Nos últimos anos, a ex-nação comunista passou a ser um grande atrativo para estudantes de todo o mundo, inclusive do Brasil, já que naquele país o custo do estudo é baixo se comparado com outras instituições mundiais, ou mesmo com universidades particulares brasileiras, onde um curso de medicina pode chagar até R$ 2,5 mil mensais.

E foi seguindo está tendência que o paulinense, Rafael Augusto Samogim foi atrás de seu sonho de cursar Medicina, mesmo que isso signifique enfrentar quilômetros de distância da família e o frio russo, que ultrapassa a casa dos 20 graus abaixo de zero. O paulinense embarca nessa quinta-feira, para Moscou, onde vai cursar medicina na Academia Médica Sechenov, considerada pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) uma das melhores faculdades de medicina do mundo.

Ele faz parte de um grupo de 18 brasileiros selecionados em 12 cidades que parte para a Rússia para fazer graduação e pós-graduação. O grupo embarca por intermédio da Aliança Russa de Ensino Superior que representa as universidades russas no mundo. A entidade já enviou mais de 250 brasileiros para a Rússia, O processo seletivo foi criterioso, com avaliação do currículo escolar e das condições psicológicas do candidato.

“Não tenho medo das diferenças que vou encontrar por lá. Quanto ao clima, acho que vou gostar, pois prefiro as temperaturas mais baixas”, diz Rafael. Ao voltar para o Brasil, o estudante submete o diploma adquirido a um processo de reconhecimento em uma universidade brasileira, um procedimento padrão para qualquer brasileiro que faça graduação em centros de ensino estrangeiros.

O programa com a Aliança Russa de Ensino Superior funciona como uma forma de intercâmbio, o tempo de permanência depende de cada aluno, variando de sete a dezesseis meses. Depois de um teste de proficiência, eles já iniciam a faculdade, morando nos dormitórios da própria instituição. Lembrando que este intercâmbio não é gratuito.


TAGS