Escolas Médicas do Brasil

Vestibular: Enem terá peso de 10% na UFPR

 21/05/2009

 

 

Vestibular

Quinta-feira, 21/05/2009

Marcelo Elias / Gazeta do Povo

Marcelo Elias / Gazeta do Povo / Com 36 votos Com 36 votos "sim", conselheiros da UFPR decidiram usar o Enem no vestibular
Processo seletivo

Enem terá peso de 10% na UFPR

Universidade mantém quase intacto o modelo dos anos anteriores. Enem ainda será usado de forma tímida, mas reitor diz que sistema pode mudar nos próximos anos

21/05/2009 | 03:01 | Marcela Campos e Pollianna Milan

O Conselho Universitário (Coun) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) decidiu que o novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será utilizado para compor uma média com a nota do vestibular deste ano. O Enem terá peso de 10% na nota final do candidato, que leva em consideração os desempenhos obtidos na primeira e na segunda fase do processo seletivo. A proposta, aprovada ontem, recebeu 36 votos a favor e apenas um contrário.

Questionado sobre o motivo da pequena participação do exame na seleção, o reitor da UFPR, Zaki Akel Sobrinho, disse que a universidade decidiu analisar o impacto do novo modelo antes de implantar uma mudança mais radical. “Neste ano será feita uma avaliação do resultado da incorporação do Enem. No futuro, pode ser até que o exame vire a primeira fase do nosso vestibular, porque há uma similaridade de conteúdos entre as duas provas”, afirmou.

Veja o que muda no vestibular da UFPR
1,7 mil disputam 475 vagas

Estão encerradas as inscrições para o vestibular da Universidade Federal do Paraná (UFPR) do litoral. Ao todo, foram 1.776 inscritos que irão disputar 475 vagas. Os três cursos mais concorridos são Fisioterapia (10,63), Gestão e Empreendedorismo (5,4) e Gestão Ambiental (4,97). A graduação menos procurada foi a de Gestão Imobiliária: a disputa, neste caso, será de 1,69 candidato por vaga.

Do total de inscritos, apenas 59 candidatos são de outros estados. A maioria das pessoas que disputam as vagas residem no próprio litoral (Paranaguá, Pontal do Paraná e Guaratuba). Dos 1.776 candidatos, apenas 198 são de Curitiba.

Universidades particulares não aderem ao Exame

As universidades particulares, que também foram convidadas pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, para participar do novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), deverão manter os processos seletivos tradicionais em 2009. O principal motivo é o prazo para divulgação do resultado do exame. A data prevista para a disponibilização das notas completas, com a prova de redação, é dia 8 de janeiro de 2010. Como muitas instituições já estão com seus calendários definidos, haveria dificuldade para aderir ao Enem já neste ano.

Leia a matéria completa

Aumento de repasse teve pouco efeito na decisão

A possibilidade de aumento do repasse de verba do Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES) teve pouco efeito para a decisão da UFPR sobre a forma de adesão ao novo Enem, afirmou ontem o reitor Zaki Akel Sobrinho. Esse maior aporte de recursos poderia acontecer caso a instituição utilizasse o novo Enem em substituição do vestibular tradicional. “Mas esse aumento de repasses não nos mobilizou enquanto argumento para aderirmos ao exame”, afirma Zaki.

Leia a matéria completa

A UFPR não espera um aumento no número de candidatos de outras regiões do país. Como a universidade optou por utilizar o Enem combinado ao atual vestibular, ela não poderá participar do Sistema de Seleção Unificada, que vai permitir a inscrição on-line dos alunos em até cinco cursos e instituições de ensino. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), apenas as universidades que usarem o Enem como única forma de acesso ou para preencher as vagas remanescentes serão incluídas no processo informatizado. “O aluno que quer entrar na Federal terá que se inscrever aqui mesmo. Em nossa avaliação, temos de atender prioritariamente à nossa comunidade”, observou o reitor.

Com a decisão de não extinguir o vestibular tradicional, a UFPR continuará recebendo as taxas de inscrição para o concurso, que no ano passado somaram R$ 3 milhões (foram 43 mil inscritos pagantes e a taxa foi de R$ 70). Segundo o coordenador do Núcleo de Concursos da UFPR, Raul Von Der Heyde, a ideia de que a taxa gera receita é um mito. “Usamos a totalidade desses recursos para pagar as despesas do processo de seleção”, disse.

O reitor da UFPR explicou que a universidade ainda não decidiu se a participação no Enem será obrigatória ou se os candidatos poderão optar por utilizar ou não a nota do exame no processo de classificação. A questão será discutida pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da universidade e uma resposta deve ser dada até o fim de junho. Se a obrigatoriedade for aprovada, estudantes de municípios onde o Enem não é aplicado podem ser prejudicados. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), dos 399 municípios do Paraná, apenas 79 realizam a prova. Em todo o Brasil, 1.619 cidades fazem o exame, de um total de mais de 5 mil.

A proposta de utilizar o Enem como 10% da nota do candidato foi apresentada por uma comissão encarregada de elaborar um parecer da universidade. Segundo membros do Coun, nenhuma contraproposta foi debatida ontem. Akel ressaltou que a mudança não provocará alterações no calendário do vestibular. A primeira fase, composta por 80 questões, está prevista para 15 de novembro. A segunda, para os dias 6 e 7 de dezembro. O período de inscrições deve começar em agosto.

Autonomia

Cada uma das 55 universidades federais poderá escolher se irá aderir ao Enem e de que forma utilizará o exame em seu processo seletivo. Há quatro possibilidades: usar o Enem como fase única; como primeira fase do processo seletivo; como fase única para preenchimento de vagas ociosas; ou como porcentagem da nota final do candidato. Até ontem à tarde, segundo o MEC, 30 instituições comunicaram que iriam substituir seus processos seletivos ou utilizar o exame como primeira fase. Cinco instituições optaram por utilizar a nota do Enem 2009 como porcentual da nota de seus vestibulares.

* * * * *


TAGS