Escolas Médicas do Brasil

UNISC : Residência começa em fevereiro

 14/10/2009

 

GERAL

 

Residência médica começa em fevereiro

 
14/10/2009 - 9:09 | Luana Rodrigues
Um dos pré-requisitos para o Hospital Santa Cruz (HSC) se tornar uma instituição de ensino é ter a residência médica em funcionamento. A partir do dia 1º de fevereiro de 2010, a casa de saúde receberá dez profissionais para atuação em cinco programas. O de Medicina de Família e Comunidade já está confirmado. Os demais – Clínica Médica, Cirurgia Geral, Pediatria e Obstetrícia e Ginecologia – estão em fase final de aprovação. As análises são feitas por comissões dos ministérios da Saúde e da Educação.

No dia 22 de novembro, os candidatos realizam a prova escrita de seleção que envolve questões sobre conhecimentos gerais de Medicina. O exame é elaborado pela Associação Médica do Rio Grande do Sul (Amrigs). De acordo com o diretor acadêmico do HSC, professor Leo Kraether Neto, os médicos residentes precisam cumprir uma carga horária de aproximadamente 60 horas semanais. Além do hospital, eles terão de trabalhar em ambulatórios e postos de saúde. Serão disponibilizadas duas vagas para cada um dos programas oferecidos. Conforme Neto, a residência é a forma mais reconhecida de especialização do médico.

Uma comissão científica, formada por sete médicos doutores e com experiência em avaliação e pesquisa, ficará responsável pelo projeto de credenciamento para transformar o HSC em hospital de ensino. Para o diretor acadêmico, a opção dos candidatos por Santa Cruz será fundamental para medir o conceito do hospital no Estado. “Ouvimos que somos uma instituição séria. Queremos ver isso agora na prática”, destaca. Dentre as outras exigências para virar hospital-escola está a de que todos os estudantes do curso atuem no internato em uma das áreas básicas da Medicina. “Como estamos vinculados à Unisc, os 30 alunos de Medicina terão de passar por um desses cinco programas no futuro”, ressalta.

A portaria dos ministérios da Saúde e da Educação também estabelece que 60% das internações ocorram pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Nesse caso, o hospital supera muito a meta. Hoje, 68% dos pacientes são atendidos pelo SUS. “Existe a possibilidade de ampliação das enfermarias para esse sistema”, aponta Neto. Os residentes também atuarão nos blocos cirúrgicos geral (CG) e no Centro Cirúrgico Obstétrico (CCO). Não há prazo para que o médico faça a sua residência. Entretanto, ela acontece após a formação acadêmica. Todos os profissionais serão orientados por preceptores. “Eles fazem a formação”, salienta o diretor. Os alunos da Unisc só poderão fazer a residência médica depois de concluir o curso, previsto para o final de 2011.
As informações são da Redação Gazeta do Sul
 

TAGS