Escolas Médicas do Brasil

Conselhos de Medicina estreitam diálogo com classe política

 21/04/2011

Conselhos de Medicina estreitam diálogo com classe política
Parlamentares, governadores de Estado, secretários de saúde (estaduais e de capitais) e líderes de entidades nacionais participaram de reunião informal nesta quarta-feira (13), em Brasília, com representantes dos Conselhos Federal e Regionais de Medicina. Foram horas de discussão em torno da agenda prioritária para a saúde e o exercício profissional. O grupo fortaleceu os laços e firmou compromisso de desenvolver ações conjuntas em benefício da sociedade.
 
Para o presidente do CFM, Roberto Luiz d’Avila, os médicos estão cada vez mais envolvidos com o processo de formulação política em busca de uma melhor assistência à saúde de população. “Colocar o interesse da sociedade acima dos próprios interesses”, pontuou.  No encontro, ele pediu aos médicos, que, atualmente ocupam cargos no Legislativo e no Executivo, que estejam comprometidos com a luta por melhorias nas condições de atendimento da população e de trabalho para o médico. “Não são pautas excludentes. Não estamos interessados em questões menores. Queremos o engajamento dos médicos políticos na construção e implementação de propostas que tragam resultados e ganhos positivos para a sociedade”, afirmou d’Avila.
 
Agenda política – Durante a reunião, os deputados, senadores e gestores receberam exemplares da Agenda Parlamentar da Saúde Responsável que contem os projetos em tramitação na Câmara e no Senado que são de interesse da categoria médica e da assistência em saúde. O livro foi desenvolvido pela Comissão de Assuntos Políticos (CAP) – composta por representantes do CFM, da Associação Médica Brasileira (AMB) e da Federação Nacional dos Médicos (Fenam). 
 
Entre os projetos listados estão o que dispõe sobre a regulamentação da medicina (PLS 268/02), em tramitação no Senado, e o que trata do piso salarial de médicos (PL 3.734/08), em discussão na Câmara, e outros referentes à assistência de qualidade.  “Consideramos importante que os parlamentares tenham conhecimento da gama de projetos a favor da saúde brasileira”, avalia o coordenador da CAP, Alceu Pimentel.
 
Repercussão positiva – A reunião realizada na sede do CFM foi saudada como um marco pelos políticos presentes. O discurso comum foi o de solidariedade aos problemas apontados pelas entidades médicas. Todos valorizaram o papel do Conselho Federal de Medicina, como referência no debate em torno de questões vinculadas à saúde, e, alguns, propuseram que este canal de aproximação seja mantido em outros encontros, com a troca de experiências e a construção de uma agenda comum.  Confira alguns dos depoimentos dos participantes:
 
Deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP)
 
“Não há nenhum profissional com mais autoridade do que o médico. Precisamos saber utilizar isso em benefício do setor”.
Deputado Carlos Humberto Mannato (PDT-ES)
 
“Nosso estado é um exemplo. Dos 10 deputados eleitos, cinco são médicos. Chegou a hora de definir a nossas atribuições e votar o projeto da Regulamentação da Medicina”.
Presidente da Frente Parlamentar de Saúde, Darcísio Perondi (PMDB-RS)
 
“Há uma ameaça da questão do financiamento. A Emenda Constitucional 29 avança, mas não resolve a questão. Dinheiro existe só não estabeleceram prioridades”.
Senador Eduardo Amorim (PSC-SE)
 
 
“Não podemos deixar de escolher um exercito que se compromete com a saúde. Temos que mostrar a nossa força como categoria”.
Deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ)
 
 
“Precisamos ampliar nosso olhar para algo além da Emenda Constitucional 29. Nosso setor precisa de mais”.
Deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES)
 
 
“Temos que estreitar o relacionamento com as entidades médicas e discutir as pautas que merecem atenção”.
Deputado Rogério Carvalho (PT-SE)
 
“Coloco-me à disposição das entidades médicas. Grande parte de minha militância passou por esta casa (CFM). Um tema, como a regulamentação da Emenda Constitucional 29, é uma prioridade”.
Deputado Saraiva Felipe (PMDB-MG)
 
 
 
“Essas reuniões devem ser frequentes. Os médicos precisam estar em alerta permanente. Nossa mobilização deve ter como foco o financiamento do Sistema Único de Saúde”.
 
Deputado Mauro Nazif (PSB-RO)
 
“A Agenda Parlamentar da Saúde é fundamental para nós políticos. Ela norteia e tem embasamento de matérias específicas”.

TAGS