Escolas Médicas do Brasil

Caos na Medicina

 06/11/2006


A partir do século XVIII a humanidade acreditava que a revolução industrial, iniciada na Inglaterra, traria substancias melhorias sociais.

Hoje, em pleno século XXI, onde a tecnologia alcança metas antes ditas impossíveis vivemos cada vez mais com graves conflitos sociais, com guerras, com violência urbana e rural, deficiência no ensino, na segurança, na assistência médica e inacreditáveis níveis de miséria em todo os países deste planeta.

Qual a razão do insucesso do sonho industrial? Quais as razões para tanta miséria neste rico planeta?

Porque tanta injustiça social? Porque mais de 30% da população dos Estados Unidos vive abaixo da linha da pobreza? Quais as razões que levam esta poderosa nação a passar por graves problemas de assistência médica?

Em relação à assistência médica vivemos um grande dilema, a medicina, cada vez mais, dispõe de novos medicamentos e sensacionais meios de diagnósticos, infelizmente, extremamente caros e inviáveis para a grande maioria das pessoas.

E o que pior, as bactérias e vírus estão cada vez mais resistentes assim como também aumentam os números de pessoas com câncer e outras  doenças. Não deveria ser o contrário?

São detectados na assistência médica grandes equívocos: a formação do médico, voltada para a causa biológica, que é a doença em si, esquecendo o homem como um todo.

Uma formação médica direcionada para a provável cura onde se tenta a erradicação da doença sem investir na causa da doença, esta equivocada.

Uma formação médica direcionada ao faturamento tornando o médico um profissional apenas em busca do lucro pessoal é fadada ao insucesso.

Uma medicina onde não há padronização de condutas, onde cada médico prescreve, solicita exames e indica cirurgias cada vez mais questionáveis elevando os custos médicos a cifras absurdas levará a assistência médica à falência ou a uma assistência médica cada vez mais corrupta e ineficiente.

Estes erros estão em todas as especialidades e destacamos como mais graves o uso indevido dos antibióticos, os absurdos tratamentos equivocados das gastrites, a indicação desenfreada da cirurgia da obesidade, da cirurgia do refluxo, os altos índices de cesarianas e cirurgias ginecológicas, assim como questionáveis tratamentos oncológicos e internamentos em UTIs onde a dignidade de quem padece não é levada em conta ,mas a receita de quem fatura é muito bem vista.

Há inúmeros equívocos na medicina que estão levando este representativo segmento ao caos e cabe às sociedades médicas, às escolas de medicina, aos governantes e à sociedade como um todo rever tais absurdos pois estamos à beira da falência do sistema de assistência médica na maioria dos paises deste planeta.

Pode parecer uma avaliação generalizada e mal fundamentada e muitos segmentos médicos se sentirão injustiçados. Mas esta crítica não generaliza toda a classe médica.

É uma avaliação  fundamentada e todos os segmentos médicos sabem disso. Os profissionais médicos que fazem uma medicina honesta bem sabem do que estou alertando e sem sombra de dúvidas quem pratica uma medicina digna e voltada ao ser humano como um todo não se sentirá atingido.

 Eduardo Leite
Médico | saudeonline@fsonline.com.br

TAGS