Escolas Médicas do Brasil

UFGD - MP e reitoria discutem estágio do curso de Medicina

 12/11/2006

Antonio Viegas, Dourados

O Ministério Público Federal em Dourados intermediou uma reunião com os acadêmicos do curso de Medicina e a reitoria da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), para resolver a questão do Estágio Prático Supervisionado ou o internato, como é chamado. Ocorre que recentemente os universitários fizeram um manifesto pedindo a agilização em torno da definição dos locais para onde serão encaminhados a partir do próximo ano, na etapa final do curso.

Em nota distribuída na semana passada e assinada por 39 dos 48 integrantes da segunda turma, eles cobram a definição de como vai ser o último ano de faculdade. Na reunião, que aconteceu segunda-feira à tarde, com o procurador Charles Stevan da Motta Pessoa, no MPF, onde participaram também os formandos, o reitor da UFGD, Damião Duque de Farias, falou da possibilidade de estabelecimento de convênio com a Santa Casa de Campo Grande.

Vagas

Inicialmente, alguns acadêmicos esclareceram que dos 48 formandos que deverão fazer o internato no próximo ano de 2007, a UFGD já teria assegurado a disponibilidade de 32 vagas no Hospital Rosa Pedrossian (em Campo Grande); seis vagas em Uberlândia (MG) e três vagas em um hospital de Porto Alegre (RS). Posteriormente esclareceu-se que dois formandos estariam fazendo o internato em Dourados mesmo, faltando somente a definição para apenas cinco formandos.

Durante a reunião Damião de Farias foi informado de que deveria ocorrer uma reunião do Conselho Diretor da Faculdade de Medicina para deliberar sobre o assunto e já no final do encontro o reitor recebeu a informação da possibilidade de estabelecimento de convênio com a Santa Casa de Campo Grande.

Rapidez

O Ministério Público Federal pediu agilidade nos procedimentos, para que os formandos não sejam prejudicados novamente, já que enfrentaram diversas complicações durante o curso, como falta de professores e greve.


TAGS