Escolas Médicas do Brasil

Loanda/ANGOLA: Bastonário defende abertura de mais faculdades de medicina

 29/06/2008

 

Bastonário defende abertura de mais faculdades de medicina

José Bule | Uíje

O bastonário da Ordem dos Médicos de Angola, Carlos Alberto Pinto de Sousa, defendeu, recentemente, no Uíje, a abertura de mais faculdades de medicina.

Carlos Alberto Pinto de Sousa, que fez parte da delegação que acompanhou a vice-ministra da Saúde para a área Hospitalar, Evelise Frestas, na sua deslocação ao Uíje, salientou, na ocasião, que a criação de condições para a formação profissional dos técnicos de saúde poderá contribuir para que seja melhorado o nível de assistência que as unidades sanitárias municipais oferecem às populações locais.

O bastonário da Ordem dos Médicos reconheceu que a única faculdade de medicina do país dispõe de boas condições. Segundo ele, há necessidade de se apostar na formação técnico-profissional, a nível da rede primária, no caso os postos de saúde, centros médicos e hospitais municipais, para que os técnicos médios de saúde ali colocados possam dar resposta às várias situações que ocorrem nas localidades.

Os estudantes da Faculdade de Medicina recém formados, defendeu, deviam ter pelo menos dois anos de periferia, pois são uma grande escola, já que aí são submetidos a contacto directo com a realidade, e com o nosso contexto. Isso, acrescentou, fá-los crescer, tanto do ponto de vista técnico, de conhecimentos, como de competências profissionais”, sublinhou o médico.

Carlos Alberto de Sousa referiu ainda ser necessário dotar os profissionais de saúde de conhecimentos sobre gestão hospitalar, no sentido de não só assegurarem a assistência sanitária da população enferma, nos postos de saúde, centros médicos e hospitais municipais, por exemplo, mas também, no sentido de assegurarem a gestão destas unidades.


TAGS