Escolas Médicas do Brasil

UFBA - Revitalização deve terminar em junho

 09/04/2009

 

09.04.2009 - 08h36

 

Revitalização da Faculdade de Medicina deve terminar em junho




Perla Ribeiro | Redação CORREIO | Foto: Evandro Veiga

O prédio que abrigou a primeira instituição de ensino superior do país, a Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia, em breve terá suas instalações abertas para acadêmicos como também à visitação pública.


Prédio abrigou a primeira instituição de ensino superior do país
(Foto: Evandro Veiga)

A previsão é que, no início do segundo semestre deste ano, tanto o conjunto arquitetônico quanto os bens integrados da ala nobre da Famed estejam devidamente restaurados.

O andamento das obras foi conferido ontem, durante visitação promovida pela faculdade em parceria com a Fapex e a Petrobras, estatal que está investindo R$ 3 milhões dos R$10 milhões aplicados na revitalização da construção secular.


Teto - Parte da cobertura estava comprometida. Por falta de manutenção, raízes de árvores desciam do teto, que apresentava infiltrações
(Foto: Evandro Veiga)

A visitação foi guiada por arquitetos envolvidos no projeto e destinada a estudantes de arquitetura, belas artes, além de outros profissionais. Segundo a arquiteta Naia Alban, que atuou na coordenação do projeto, o grande desafio foi entender o edifício em si, visto que suas áreas possuem usos distintos -um museu de antropologia, um museu de cultura afro-brasileira, a faculdade e uma biblioteca.

“É preciso entender o edifício, a superposição dos momentos históricos. O salão nobre, por exemplo, é de uma riqueza impressionante”, pontuou a arquiteta.


Pisos - Todas as salas possuem pisos hidraúlicos em cores e formatos diferentes, atendendo ao gosto dos catedráticos da época
(Foto: Evandro Veiga)

Para ela, o espaço deve ser considerado como um palco de obras de arte. “Há pinturas artísticas por toda parte, lustres de cristal e todo o mobiliário é muito sofisticado. Tudo foi pensado para atender ao glamour que uma faculdade de medicina representava à época”, pontua.

Todo o trabalho visou preservar o ambiente original e buscou minimizar, sempre que possível, a interferência da obra no edifício.“É uma arquitetura portuguesa mais singela. Porém, de grande imponência. O edifício foi retraído para poder ser visto, ser contemplado a distância', disse Naia Alban.


Pinturas - O salão nobre era um dos espaços com estado de conservação mais precário. Parte das pinturas das paredes estava danificada.
(Foto: Evandro Veiga)

As obras de revitalização foram iniciadas em maio de 2007 e nove meses depois foi entregue a primeira etapa. Agora, operários trabalham a todo vapor para a entrega da segunda etapa.

“Para a Petrobras, é muito importante colocar o seu nome em um patrimônio histórico como esse. A estatal, junto com o governo brasileiro, vem trabalhando no sentido de reconstruir a identidade brasileira, garantindo oportunidade para as pessoas conhecerem a história do país”, disse o assessor da presidência da empresa, Rosemberg Pinto, que acompanhou a visita.


Fachada - Todas as instalações do prédio estão sendo recuperadas e pintadas, inclusive a fachada, que se estende do Terreiro de Jesus à Rua Portas do Carmo
(Foto: Evandro Veiga)

Ala nobre foi a mais beneficiada
Uma das partes mais beneficiadas com a revitalização foi a ala nobre, que envolve salão nobre, sala de congregação, memorial da medicina brasileira, entre outras instalações.

O projeto contemplou ainda os prédios anexos, móveis, pinturas murais e quadros, e paisagismo. Para o diretor da Faculdade de Medicina, José Tavares Neto, recuperar o edifício que abrigou a primeira faculdade de medicina do país é preservar o patrimônio histórico nacional.


Cobertura - O teto foi restaurado, acabando assim com as infiltrações que contribuíam para o acúmulo de umidade, atraindo cupins
(Foto: Evandro Veiga)

Vale ressaltar que o equipamento integra o conjunto arquitetônico tombado pela Unesco no Centro Histórico. Embora satisfeito com a revitalização, o diretor Tavares Neto diz que o que preocupa agora é a manutenção do prédio.

Além de dois museus, parte administrativa e cursos de extensão e pós-graduação, as instalações abrigam ainda uma unidade de saúde da família, com 12 consultórios e sala de vacinação.

Cronologia
1808
- Criação da Faculdade de Medicina 

1832 - A faculdade passa a conceder título de médico. Antes formava só cirurgiões, e eles tinham que obter o título de médico na Europa 

1849 - É inaugurado o prédio da Faculdade de Medicina no Terreiro de Jesus 

1906 - Um incêndio em uma quinta-feira de Carnaval destrói todas as instalações 

1909 - É inaugurado o novo prédio 

1972 - Deixa de funcionar como prédio de aulas, transferindo suas atividades para o Canela 

2003 - Diretoria, programas de expansão e pós-graduação voltam a funcionar no prédio

(notícia publicada na edição impressa do dia 09/04/2009 do CORREI


TAGS