Escolas Médicas do Brasil

Alunos de MT fazem abaixo-assinado para a UFMT

 30/08/2008

Educação
 
terça-feira, 26 de agosto de 2008 - 08:27

Alunos de MT fazem abaixo-assinado para alterar data de vestibular da UFMT


 

Alunos do 3º ano do Ensino Médio e de cursinhos pré-vestibulares de Cuiabá fazem abaixo-assinado para pedir mudança na data do vestibular 2009 da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Eles querem que a prova seja aplicada no mesmo dia que a realizada na Universidade Federal de Goías (UFG). O objetivo do movimento é diminuir a participação dos vizinhos goianos no processo seletivo no Estado.

Os estudantes que tem pretensão de ocupar uma das oitenta vagas para o melhor curso de medicina do país passam horas a fio sobre as apostilas. A atenção para cada detalhe da teoria exige esforço e dedicação durante os sete dias da semana. Para a estudante Roberta Silva Bezerra, vale tudo por uma vaga na faculdade de Medicina da UFMT. "É uma rotina cansativa, mas para o curso que eu escolhi tem que ser assim. Senão não tem como entrar na faculdade", disse.

Neste ano os estudantes ainda têm uma preocupação a mais. É que as datas das provas da UFMT, marcadas para ocorrer entre os dias 16 e 17 de novembro, não batem com as da Federal de Goiás, realizada uma semana depois. Os estudantes de Mato Grosso não querem os goianos como concorrentes. "Os vestibulares anteriores comprovam que quando os estudantes de Goiânia vem fazer vestibular com a gente, eles têm um índice de aprovação maior para vagas que teoricamente seriam dirigidas para os estudantes de Mato Grosso", afirma uma estudante.

O último suspiro antes da prova é um abaixo-assinado que tem corrido as salas de aula. Os estudantes pedem que a UFMT mexa nas datas do vestibular. Mato Grosso correria atrás de Goiás. O documento ainda não chegou à Universidade, mas a Coordenadoria de Vestibulares da UFMT antecipa que a escolha das datas não levam em conta o fator concorrência e sim ao prazo para o cumprimento do conteúdo escolar, a disponibilidade para a correção das provas e a divulgação dos dados do Enem.

É o que garante a coordenadora Valéria Calmon Cerisara. "Se a gente for atender às solicitações, também eu tenho pedidos para que o vestibular coincida com a Federal de Rondônia, Getúlio Vargas e Fuvest. Fica muito difícil. No momento da escolha das datas do processo seletivo efetivamente da UFMT é avaliado as condições e os prazos mínimos para concluir o trabalho em tempo hábil", informa.

A Coordenadora não vê qualquer possibilidade de um abaixo-assinado com estes argumentos alterar a data do principal exame da UFMT. "Não tem nada de novo que modifique essa data", conclui a coordenadora.

Nos cursinhos, os vestibulandos rebatem a coordenadora dizendo que a UFMT deveria respeitar mais os estudantes de Mato Grosso, principalmente, agora em que o curso de Medicina da UFMT foi eleito o melhor do país pelo Exame Nacional de Desenvolvimento da Educação (Enade)." Os olhares estão todos para Mato Grosso, principalmete, por causa da avaliação do Enade, mas também, pelo número de vagas. A preocupação não são só com os goianos, mas com os estudantes do país inteiro", disse o estudante Leonardo Martins.

No estúdio do MTTV 1º edição desta segunda-feira, o reitor da UFMT, Paulo Speller ressaltou que sempre se discutiu a coincidência dos exames da UFMT com os realizados nos Estados vizinhos. Para ele, as datas dos exames não vão alterar os resultados obtidos pelos estudantes de Mato Grosso. "O fato é que na medida que não coincida as datas, a chance para os alunos de Mato Grosso tentarem entrar em uma universidade em outros estados é a mesma para os que vêm a Cuiabá.

Para o reitor, o título dado ao curso de Medicina como o melhor do país não vai diminuir a oportunidade dos estudantes de Mato Grosso em ingressar no curso."Nós estamos dobrando as vagas de 40 para 80. É claro que por ser o melhor curso do país, possa até atrair alguns candidatos mas eu acredito que as chances dos estudantes de Mato Grosso no processo não se alteram", ressalta.

O abaixo-assinado ainda não chegou às mãos do reitor. Para Speller, documentos dessa natureza passam por trâmites técnicos que são analisados em conselho. "As decisões da UFMT são tomadas de forma colegiada. São os Conselhos de Ensino Superiores, neste caso, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) que avalia tudo o que diz respeito ao vestibular. Se eu receber este abaixo-assinado, colocaremos em análise no Consepe desde que haja razões de peso, ainda não as conheço, mas que serão levadas em consideração", informa.

Em relação à data estipulada para a realização do vestibular da UFMT, o reitor argumentou que são as razões de ordem técnica que definem o calendário do exame. "Precisamos considerar tanto o calendário de Mato Grosso onde nós nos encontramos, assim como toda a demanda de ordem técnica para a elaboração e correção das provas em tempo hábil", disse.

Em relação ao ingresso de estudantes oriundos de outros Estados à UFMT, em especial, a cursos renomados como os da área da saúde, Speller defendeu a importância de não impor nenhuma sanção a nenhum cadidato. "As universidade Federais brasileiras são nacionais. E, portanto, não podem impor nenhuma restrição a nenhum candidato deste ou daquele Estado. Quem reside legalmente no país está habilitado a se candidatar e, eventualmente, aprovado cursar Medicina ou qualquer outro curso. A universidade é autônoma, mas não é soberana. Ela tem que respeitar estas leis", finaliza.



Autor
: TVCA ( - Imprimir esta notícia - Mandar esta notícia a um amigo - )

TAGS